quarta-feira, 27 de abril de 2016

Ônibus Universitário: uma expressão dos direitos sociais de segunda dimensão

Comissão Universitária, secretário de Educação Emílio Freitas e vereadores Rogério Alexandre e Sidney Guedes

A conquista
Hoje (26), a Comissão Universitária se reuniu com a Secretaria de Educação de Aracoiaba, representada pelo secretário Emílio Freitas, e a Comissão de Educação da Câmara Municipal de Aracoiaba, representada pelos vereadores Rogério Alexandre, Sidney Guedes e José Wilson, para tratar sobre a regulamentação do transporte universitário com percurso à Redenção e Fortaleza e consequentemente dispor sobre os direitos e deveres dos estudantes no tocante a utilização do serviço, pondo fim as manifestações da Comissão Universitário em busca de lei que regulamentasse o transporte e desse garantia e segurança da continuidade do serviço tão importante para as classes sociais com difícil acesso ao ensino superior. A previsão é para quarta-feira (04/05) ser a lei, formalizada e publicada.
As problemáticas
O acesso ao ensino superior não é, e nunca foi fácil, apesar de existir tantas possibilidades para ingresso em faculdades e universidades, tais como os programas do governo SISU, PROUNI, FIES e vestibulares. A maior questão não é possuir o conhecimento e as competências necessárias para conseguir a aprovação, mas sim a permanência dos estudantes em cursos nos quais ingressarem, pois muitos deles não possuem renda para sustentar-se, lugar para ficar próximo às universidades na capital e até mesmo estrutura para adaptação ao ambiente violento, com poluição sonora e com tantos problemas que advém de outros fatos sociais evidentemente presentes na capital. Além disso, geralmente as necessidades que o estudante tem de passar para conseguir qualificação profissional futura entra em conflito com as necessidades de subsistência, acarretando na procura de um emprego para sanar aquelas, o que na maioria das vezes os desestimula, estatizando os sonhos, ferindo dessa forma a sua dignidade pessoal. Indubitavelmente, não há que se negar que para um jovem que mora no interior, distante das variadas diversidades culturais, educacionais, sociais e políticas entre em conflito quando sai do ensino médio, a problemática principal é: "Estudar ou trabalhar?". Há aqueles que escolhem seguir a intersecção, e descobrem de maneira mais severa o quanto é paradoxal e injusta a sociedade, o primeiro porque quando se fala em desenvolvimento educacional não se pensa na banalização do conhecimento gerada pelas necessidades humanas, injusta quando trata de maneira igual as classes sociais baixas em relação às avançadas.
Os Direitos
Há muitos comentários sem fundamento e hipócrita contra o transporte universitário, esses serão desconsiderados, pois representantes da educação e do poder legislativo que pensam ser um abjeto a disposição do ônibus estão parados no tempo, rastejando na estática sociedade regressiva, afastados dos fundamentos e objetivos da nossa nação, esses estampados em nossa bandeira e em nossa Constituição Federal de 1988 nos artigos 1°, 3° e  6° e outros. Retorno ao título, os benefícios da abertura de possibilidades, especificamente na disposição do transporte universitário surge como expressão dos direitos sociais de segunda terceira dimensão, enfatizando a liberdade e conforme o jurista José Roberto Dromi teorizando sobre o constitucionalismo do futuro, restringindo à universalidade, que se revela na exterminação de qualquer desumanização e na prevalência do princípio da dignidade da pessoa humana.
O transporte
O transporte universitário, destrói mais ainda a barreira entre o aluno e a universidade, abre um caminho a mais para a educação e o crescimento científico, tecnológico e provavelmente, do desenvolvimento municipal, digo em todos aqueles que também possuem o serviço, que o tomam como forma de incentivo à educação e ampliam este direito social. Em suma, pensar sobre este fato social é pensar em manifestações da educação, em direitos sociais, em benefícios humanos e em igualdade social! Estaremos sempre na luta a favor do progresso e do desenvolvimento humano, social, político e intelectual. 
Agradecimentos
A Comissão Universitária, representada na reunião de hoje (26) pelos universitários Júnior Laureano (Enfermagem), Letícia Ferreira (Odontologia), Sávia Moema Melo (Direito), Matheus Silva, Juliana Eloi (Fisioterapia), Everlan Freitas (Fisioterapia), Yago Nascimento (Direito/ Membro do grupo MDC) e Themístocles Stanton (Música/ Membro do grupo MDC). Todos agradecem ao diálogo pacífico e harmônico com a Secretaria de Educação e com os vereadores presentes que atenderam a causa com grande interesse, visando o melhor para os universitários. Estaremos sempre fiscalizando o serviço e em busca do melhor para a educação e para todos os estudantes que visam um acesso mais facilitado ao ensino superior.

Registro do movimento antecedente a reunião.